30 de jul de 2013

Crônica: Histórias Extraordinárias - Livros que nos encontram


 Às vezes alguns livros e autores nos pegam de jeito. Nos fazem ficar apaixonados por suas histórias e querer ler todas as suas obras.

É realmente tão fantástico quando isso acontece.

Mas não sei com você, leitor, mas comigo está cada vez mais raro. Alguns livros parecem feitos para nos distanciar de outras obras. Oh, pode ser a chamada “provação”! Somos testados uma vez ou outra com livros ruins, mal escritos e com revisões péssimas, para que nosso instinto leitor nos leve a encontrar títulos que nos façam viajar mais e mais...

Em momentos como esses é que recorro a duas velhas táticas: escolher autores que gosto, assim não ficarei decepcionada. Ou então, deixo que um livro me escolha...

E como é incrível descobrir obras e autores! Simplesmente amo passar pelas estantes de livrarias, bibliotecas e sebos e olhar lombadas, até que uma pula e diz leia-me.

Já aconteceu algumas vezes comigo. Como minha paixão são os livros juvenis, esses são os que mais saltitam para meu colo.

Certa vez estava na Biblioteca Pública do Paraná (BPP) – que lugar fantástico! – e um título saltou aos meus olhos, era Discworld - A Cor da Magia, de Terry Patchett, até então não conhecia a série – gigante por sinal –, levei para casa e me encantei com a criatividade, humor e tudo o mais do autor.

Outra vez estava em uma ponta de estoque e o livro O Estranho Destino de Poison, de Chris Wooding, me chamou. Ignorei uma ou duas vezes, mas na terceira ida não tive como dizer que não. Levei comigo e... AMEI! Simplesmente amei a história, tão bem escrita, que prende e encanta.

Um dos mais fantásticos chamados se deu numa livraria. Um pequeno título olhava para mim e pedia colo, eu aceitei e o levei para casa. Mais um filho, mais um irmão em minha biblioteca. O Menino Alquimista, de Juarez Nogueira – um autor de Divinópolis, que não gosta muito de redes sociais –, foi uma leitura extremamente agradável. Uma história repleta de simbolismos e crítica ao mundo. Pois, através da resenha deste livro, o autor entrou em contato e já o conheci pessoalmente e li outras de suas obras, como o infantil Quando Falar é Fazer.

Então, quando estou sem rumo sobre o que ler, gosto mais de adotar essa ideia e os livros que meu encontram geralmente são mágicos, afinal eles sabem que são exatamente aqueles que desejo ler. E essa magia me acompanha para sempre na eterna busca e encontro por mais livros fantásticos.

2 comentários:

  1. É muito difícil eu me decepcionar com um livro, diria que é uma média de 1/10 apenas, os livros geralmente me encontram também, eu compro livros pela capa e pelo título que me atraem e na maioria das vezes eu me surpreendo positivamente.


    Estandy books - A estante da Andy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já comprei pela capa também, tem uns que realmente surpreendem de forma positiva. =)

      Excluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.