20 de fev de 2014

Resenha: Pânico no navio - Eoin Colfer

Pânico no navio (Editora Record, 98 páginas, R$25) é um livro deliciosamente simples. Para se ler em 1 hora – ou até menos, depende da rapidez do leitor.

Repleto de ilustrações massa feitas por Tony Ross – esse é um estilo que curto bastante, é parecido com o que Quentin Blake, que ilustrou livros do mestre Roald Dahl, aliás, o texto também remete ao autor.

A história é narrada pelo menino Eduardo, de nove anos, que junto com a família vai passar as férias em um trailer à beira mar, como fazem todo ano.

Eduardo tem quatro irmãos: Marcos, Daniel, Bruno e JC – este tem cinco anos e finge ser um bebê, por isso fala desta forma. Cada irmão é de uma forma, geralmente bem pestinha.

Mas para eles a viagem nunca é muito interessante, pois os cinco precisam dormir num quartinho apertado no trailer.

Marcos, o mais velho, adorava contar histórias quando os irmãos estão quase pegando no sono. Um dia ele começa a contar sobre o terrível Capitão Corvo, deixando Eduardo com muito medo, mesmo que ele não admitisse.

Então, no outro dia Eduardo e Marcos vão a uma festa ali perto, só que, claro, algo não vai dar muito certo.

Pânico no Navio é bem divertido, com suspense e medos. Só não entendi a tradução do título, pois, na verdade, nada tem a ver com o original The legend of Captain Crow’s teeth, que tem a ver com a história contada por Marcos. E não tem um “pânico no navio”, na verdade.

Eoin Colfer é conhecido por sua série juvenil Artemis Fowl.

Serviço
Editora: Record
Título original: The legend of Captain Crow’s teeth
ISBN: 9788501075451
Ano: 2007
Páginas: 98
Tradutor: Ryta Vinagre
Skoob | Editora Record

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.