11 de fev de 2016

Resenha: Luxo & crime - Angela Klinke

Imagino que o lado da moda de luxo seja um tanto podre, porque são pessoas ricas querendo ser melhores que as outras, querendo exclusividade em cada item. Penso numa luta como animais ferozes, que brigam pelo espaço, para ser o líder do clã, mas toda a peleja acontecendo por dentro, pois tudo deve ser tão discreto, apenas tratado com olhares e palavras ácidas de forma subliminar, ali mergulhadas entre uma frase e um doce elogio.

Que se digladiem essas feras dotadas apenas do bom gosto duvidoso, externo.

Que briguem pela bolsa exclusiva, pelo sapato vermelho. Que, como diz o ditado, morram abraçadas, pois se merecem.

Angela Klinke traz sua experiência de 20 anos como jornalista, trabalhando de diversos assuntos. E o resultado é um livro com humor e muita crítica.

O livro já começa com ação. As donas de uma loja de luxo sendo presas.

E o rico pai de Lulu um dia se cansa da futilidade da filha e a obriga a arranjar um emprego de jornalista na revista Cenários.

“Ela caminhava para ser mais uma dessas jovens que passavam metade do dia na internet se vangloriando das compras que fez na outra metade. Dizia que seu investimento em peças de luxo era um trabalho jornalístico.”

Essa frase me lembra dessas blogueiras que compram, compram e compram produtos de beleza, roupas, e exibem para um monte de meninas sedentas pelo que a outra usa. Não importa se é bom, contanto que se pague para divulgar e que se tenha mentes para corromper e induzir à compra desnecessária.

A Blogueira Shame mostrou durante alguns anos esse lado podre do reino das blogueiras de moda brasileiras. Eu acompanhava o blog, Shame on you, blogueira, e ria muito, intrigada em saber como as seguidoras acreditavam – acreditam – no que são ditos nesses sites. Aliás, se não me engano, foi no Shame on you, blogueira que fiquei sabendo do livro Luxo & crime (Editora Leya, 192 páginas), além de Gomorra (Editora Bertrand Brasil, 350 páginas).

Enfim, Lulu – Ludmila – cede à pressão do pai e vai trabalhar com Ernesto, um jornalista premiado. E a menina mimada vai justamente trabalhar no caso da Loja, que está sendo investigada por fraudes. 

A Loja – e eu adorei o nome – trabalha com produtos de luxo, promete trazer de fora a exclusividade às suas clientes. E sinceramente, eu, que uso na maior parte do tempo calças pretas e camisetas com estampas de bandas de rock, filmes e livros, só imagino como devem ser essas pessoas que não se importam em pagar horrores por algo que descartaram na próxima coleção. Mas, claro, eu não sou um parâmetro muito bom, nem pretendo.

“– Ludmila, você já leu Gomorra?  
Era claro que não. Nem sabia do que se tratava. Já tinha estado em Milão, se esbaldando em compras por lá, mas não leu Gomorra. O autor, Roberto Saviano, começou ele, faz um retrato nada elegante do processo de produção e muitas grifes de lux na Itália. Na periferia de Nápoles, a máfia financiava a mão de obra de qualidade, mas barata, que trabalhava em condições semelhantes aos bolivianos nas facções de costura do Brasil.”

Angela Klinke não mede palavras para falar desse mundo. Ela cita a falecida Daslu, o paraíso dos "rycos" – ou templo do luxo, como era conhecida –, mas que desabou em meio a escândalos de crimes financeiros. 

Luxo & crime traz personagens interessantes, desde a simples Dulcecleide e suas bolsas falsificadas, até a “nata” da sociedade. E está tudo interligado.

É uma leitura muito rápida e divertida. A linguagem simples, que pode atingir qualquer público e mostrar as teias que envolvem o mundo, não só o da moda.

“Como disse uma vez o autor Manoel Carlos, é inevitável fazer uma novela baseada na realidade porque ninguém acreditaria. Já a ficção tem de fazer sentido”, cita a autora.


*****
ASIN: B00AHEHJQ2
Ano: 2012
Páginas: 192
Editora: Leya
*****

Este ebook foi emprestado no programa Kindle Unlimited, da Amazon.

Skoob | Twitter | Facebook | Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.