9 de jan de 2014

Resenha: Doce procura - Kevin Alan Milne

Resenha de Celly Borges.

Doce Procura (Editora Record, 320 páginas, R$40) não é uma história simples e doce.

Há chocolates e há Biscoitos do Azar – que têm um gosto ruim e dentro, ao invés de ter um papel com uma boa sorte, ele sempre fala algo amargo. Sophia é a mulher triste que escreve, dona da loja de chocolates.

Essas mensagens amargas também estão no início de cada capítulo, como forma de mostrar quão ruim é o futuro de quem se culpa pelo passado e não consegue resolvê-lo, apagá-lo.

Mas esse passado de Sophie, como é chamada, é terrível. Por 20 anos ela se culpa pela morte dos pais, quando ela era uma menininha de nove.

Por culpa de um biscoito da sorte, que dizia

“A felicidade é um dom que brilha dentro de você
O seu verdadeiro desejo se realizará em breve”.

Então, quando estão indo embora do restaurante, Sophie diz que seu desejo é um chocolate e seu pai avisa que ela já havia comido sobremesa, ele olha o papel que ela segura, tentando provar que a sua felicidade é isso, e...

A felicidade vai embora naquele momento, só sobra Sophie, que cresce se culpando pela morte de tanta gente, afinal, seus pais e outras duas pessoas foram envolvidas no acidente.

Mas sempre chega o dia de mudar, então sua mãe de criação – o texto nunca deixa esquecer isso! – resolve se juntar a uma amiga e arranjar um encontro às cegas para os filhos. Assim Sophie conhece Garret, a “brincadeira” dá tão certo que acabam ficando noivos. E um dia, sem motivos, Garret diz que quer terminar tudo, não explica nada e deixa Sophie depressiva, até que ela cria o Biscoito do Azar, em homenagem a ele.

Depois de um ano sem notícias, Garret reaparece e quer conversar, precisa de apenas um encontro, então Sophie diz que para isso ele precisa colocar um anúncio num jornal com o título “Procura-se felicidade” e precisa conseguir cem respostas verdadeiras – que Sophie fará questão de selecionar muito, muito bem.

O nome original é Sweet Misfortune, ou seja Doce Infortúnio, e de Doce Procura não ter nada, pois é uma busca sofrida. Provavelmente muitos passem por essa busca de si, talvez não de forma tão intensa, mas de maneira a parar e querer mudar... ou arrumar as coisas.

Me vi algumas horas com os olhos cheios de lágrimas. Há o sentimento da culpa, remorso, abandono, isso é tudo muito triste, capaz de tornar qualquer um numa pessoa amarga. Mas Sophie terá que reencontrar o passado para, enfim, deixá-lo ir.

Doce Procura, apesar do tom amargo, é uma linda história que mostra os vários lados do sofrimento de famílias que passaram pela situação. Num primeiro momento comecei a ler e acabei abandonando o livro - não faço ideia do motivo -, depois voltei a ele e li muito rápido e curti cada minuto e me arrependi de não ter terminado antes.

Serviço
Editora: Record
ISBN: 9788501097255
Ano: 2013
Páginas: 320
Tradutor: Ana Carolina Mesquita
Skoob | Editora Record

Resenhista
Celly Borges é escritora, revisora, sonhadora, adora chocolate e nunca pegou um biscoito da sorte... nem do Azar.

2 comentários:

  1. Engraçado que quando vi a capa em algum lugar por aí achei que era mais um romance estilo Sparks... Mas acabou que vai entrar para minha lista de 2014, essas leituras mais "pesadas" são necessárias de vez em quando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não é como Sparks... ainda bem hehehe. É muito bom, tem que ler! E sim, é um romance com partes pesadas e que traz algo bom.

      =*

      Excluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.