28 de out de 2013

Resenha: "O outro gume da faca", de Fernando Sabino

Eu queria ler Fernando Sabino, desejava conhecer a sua obra e era isso. Esses dias entrei num sebo e dei de cara com O outro gume da faca em ótimo estado por apenas R$3. Era meu.

O outro gume da faca é um livro policial bastante simples, uma delícia para ler! E sua leitura é rápida, tem 104 páginas, tanto que li em poucas horas no ônibus – os passageiros devem ter estranhado as minhas reações, porque há suspense, humor, fiquei com raiva, queria avisar aos personagens o que acontecia... Devo ter feito várias expressões.

Aqui acompanhamos a história de Aldo Tolentino, advogado, tem uma família estruturada, dois filhos do segundo casamento e um do primeiro, que é o típico adolescente rebelde, vive longe de casa, viaja bastante.

Um dia Aldo começa a perceber que sua mulher anda tendo alguns comportamentos estranhos, está mais ousada, principalmente na cama, fala palavras que antes não usava, e ao mesmo tempo está sem paciência com os filhos pequenos. Uma vez todos estavam à mesa e ela soltou um palavrão, deixando os presentes um tanto desconsertados, pois a conheciam de outra forma, mais serena.

Aldo é um homem um pouco ingênuo, e que não demonstra ter muita ambição, talvez seja resignado. Trabalha tanto, mas sempre em serviços menores do que Marco Túlio, também advogado, e que lhe dera uma chance em seu escritório. Aldo era grato a ele por esse espaço, ou teria que ficar com os inventários, que eram trabalhosos e não muito lucrativos.

Mas a trama de O outro gume da faca fica em torno do que está acontecendo com Maria Lúcia, sua esposa, e a forma como Aldo tenta descobrir. E às vezes – ou muitas vezes – algumas cousas não saem como planejadas.

O texto de Fernando Sabino é simples, conversa com o leitor e o faz querer mais, como disse, li em poucas horas e a história se desenvolve de uma forma que eu sentia a necessidade de chegar logo ao final, eu queria ler. O outro gume da faca é indicado!

Esse foi o meu primeiro contato com Sabino, e eu quero mais, já corri pegar a obra O menino no espelho – descobri que a tenho em casa! –, que fala da infância mágica do autor, que nos deixou em 11 de outubro de 2004. Ele nasceu em Belo Horizonte, no dia das crianças. Faleceu em sua casa em Ipanema, RJ, um dia antes do seu aniversário de 81 anos. Pediu que seu epitáfio fosse: "Aqui jaz Fernando Sabino, que nasceu homem e morreu menino!"

Fernando dizia que "Quando eu era menino, os mais velhos perguntavam:
- O que você quer ser quando crescer?
Hoje não perguntam mais. Se perguntassem, eu diria que quero ser menino".

Serviço
Editora: Ática
ISBN: 8508057776
Ano: 1996
Páginas: 104
Skoob

Leia também
+ Resenha: O menino alquimista – Juarez Nogueira
+ Resenha: Menino de Asas - Homero Homem

Um comentário:

  1. Eu li esse livro, e simplesmente adorei. Quando acabou, eu quase chorei, por que queria mais. Um dos melhores livros que eu já li esse ano.

    ResponderExcluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.