9 de mar de 2012

Resenha: Asas – Aprilynne Pike

Combinei com a Cláudia Charão de fazer resenha dupla, já fizemos isso em 2010 com o livro Noturno (leia a resenha). Então confira a minha resenha de Asas e depois leia a opinião dela no blog Concentrófoba.

Logo no início, ao pegar o livro, me deparei com um excelente trabalho. A imagem da capa é de uma flor com duas pétalas em formato de asas. Há uma textura aveludada em toda a capa, como se fosse realmente revestida com pétalas. O toque é suave. Um trabalho muito delicado e diferente. Lindo!

A história de Asas (Editora Bertrand Brasil, 294 páginas, R$29), que faz parte de uma série chamada Fadas, é sobre a menina Laurel, 15 anos, adotada – fora abandonada na porta da casa de seus pais adotivos –, que nunca foi à escola, tinha aulas em casa, como é comum acontecer nos Estados Unidos. Mas a família se muda e resolve matriculá-la em um colégio público. Sem conhecer ninguém, nem ter noção de como agir, Laurel se sente mal. Porém, como é normal nessas histórias, logo conhece David, o garoto desejado por todas. E é óbvio que ele vai se interessar pela frágil Laurel.

Passados alguns dias a menina descobre um caroço nascendo em suas costas, óbvio que já sabemos o que será. Mas a descrição é de como ela descobre a “flor”, pois até então não entende o que se passa e assim a chama, é muito bonita, acompanhar a descrição junto com o toque na textura da capa, é como se estivesse tocando as asas, é o ápice do livro.

“– Como pode ficar tudo bem, David? Tem uma flor crescendo nas minhas costas. Isso não está bem”, pág 69.

Mais à frente ela encontra um elfo, chamado Tamani, que a ajuda a entender melhor o que se passa, quem é ela e novamente o usual é que a protagonista não acredite. Quando ela vai embora percebe um pó dourado em sua mão.

A história até pouco antes do encontro com o elfo é bacana, mas depois fica a questão “Mais do mesmo?” A invenção fica por conta de que aqui as fadas são plantas, como Laurel percebeu, a textura daquilo que saia de suas costas era a mesma de algumas pétalas. Pois ela vai em busca do elfo Tamani que tenta ajudá-la:

“– Eu nunca li nada sobre o fato de fadas serem plantas. E, acredite, eu procurei ­– disse ela.
– Os humanos gostam de contar histórias sobre outros humanos, só que com asas ou cascos ou varinhas mágicas. Não sobre plantas. Não sobre algo que eles não são e que jamais poderiam ser – Tamani deu de ombros. – E os humanos se parecem muito com a gente, então suponho que seja uma dedução razoável”.

Para uma fada ter bebê, ela precisa ser polinizada por um elfo, como explica Tamani.

“– Fadas e elfos crescem em flores. A fada... é polinizada por um elfo e, quando suas pétalas caem, ela fica com uma semente. Ela planta a semente e, quando a flor brota, você tem uma muda.
– Como vocês... nós... você sabe, fadas e elfos, polinizamos?
– O elfo produz pólen em suas mãos e, quando um elfo e uma fada decidem polinizar, o elfo toca o interior da flor da fada e deixa que o pólen se misture. É um procedimento um tanto complicado”.

E ele explica que existe a questão do sexo, mas para diversão! E lembre-se, leitor, que um pouco antes, na resenha mesmo, disse que o elfo Tamani havia deixado um pó dourado nas mãos de Laurel em seu primeiro encontro...

Mas algumas frases são realmente muito interessantes, no caso da citação seguinte, Tamani fala sobre Avalon e o Rei Artur:

“– Digo uma coisa: se você quiser guardar um segredo, transforme-o numa história humana. Eles vão alterá-la tanto em cem anos que ninguém jamais poderá separar o que é verdade do que é mito”.

Diz na divulgação da série Fadas, que é “uma extraordinária série de magia e de intriga, de romance e de perigo, que mudará para sempre tudo o que as pessoas imaginavam saber sobre fadas”, então prefiro as histórias clássicas. Essa não me prendeu, aliás, foi até um pouco complicado terminar a leitura. É indicado para leitores de Crepúsculo, e é tão criativo quando o vampiro que brilha e se apaixona.

*****
Editora: Bertrand Brasil
Título original: Wings
Tradutor: Sibele Menegazzi
ISBN: 8528615235
Ano: 2011
Páginas: 294
*****

Sobre a autora:
Aprilynne Pike vem criando histórias de fadas desde que era uma criança de imaginação fértil. Completou seu bacharelado em escrita criativa aos vinte anos na Lewis-Clark State College, em Lewiston, Idaho. Vive atualmente com o marido e os três filhos.
Site

14 comentários:

  1. Oi!

    Haha nem tinha pensando em comentar sobre os bebês, eu achei legal mas não me animou a ler o resto, achei forçado o triangulo e ela não revelou o bastante para saber se realmente é tudo isso o mundo mágico e os futuros rolos com os coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, não me imagino lendo o resto, não aguentei nem esse rsrsrs... É, a ideia dos bebês foi beeem estranha rs

      Excluir
  2. Bem louco esse livro o_o Bom, mesmo assim, não me deu vontade de ler xD

    ResponderExcluir
  3. @cyberlivingdead10/03/2012 01:15

    Essa história segue ao pé da letra todo o roteiro de histórias românticas fantásticas. Talvez se a autora arriscasse mais e usasse moldes um pouco diferentes a história poderia até ser boa. O final pelo que foi comentado na resenha até posso antecipar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, mas é a nova fórmula, reinventar ideias e formar um triângulo amoroso. Não há novidade: a menina se muda para uma cidade nova, conhece O cara amado por todas e se apaixonam, no caminho tem outro cara... e é só colocar metade disso sendo ser mágico =P

      Excluir
  4. Celly, eu estava achando a história até interessante, bem, não a história em si, mas os trechos que você colocou. Mas no final, quando você indica para leitores de Crepúsculo... acho que nunca chegarei perto desse livro. eheheeheheh

    Bjo,
    www.restaurantedamente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrs. É recomendado porque tem a mesma premissa. Só que com fadas rsrs

      Excluir
  5. Eu sabia que sua resenha seria negativa rs
    Eu até achei fofinho, mas a autora " viajou muito na maionese ", mas eu quero ler o segundo, acabei ficando curiosa.

    Bjos!

    P.S.: Definitivamente mesmo com a viajem da autora eu ainda prefiro uma fada que tem uma flor nas costas que eu vampiro que brilha no sol kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehe, acho que você disse que eu não ia gostar, né? Acertou =P

      É... não sei qual prefiro... acho que ler o 1º das duas séries já tá de bom tamanho rsrsrs

      Excluir
  6. Ahá, bem que eu desconfiava! Essas fadas aí estão mais para o estilo de leitor que gosta de vampiros que brilham ahaha Adorei a resenha! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, fãs de Crepúsculo ou vão amar ou odiar e dizer que é cópia =P

      Excluir
  7. Comecei ler a resenha mas parei, pra não estragar a surpresa da leitura. Quando ler venho aqui comentar..

    Bye da Pah
    www.livrosestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Na booa... esse é um dos melhores livros que Eu já lii... e confesso qeu continuo cheia de vontade de ler o ultimooo, já que euu já lii os tres primeiros.. - ' e Ameiiii!!!!
    Já lii: Asas', Encantos, e ilusões... e super ansiosa pelo próximoo... Se vc, Celly, ainda ñ leuu os outros, pode ler, vale mt a pena!!

    ResponderExcluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.